Como a tecnologia apoia seus estudantes para a redação do Enem

Como a tecnologia apoia seus estudantes para a redação do Enem

Como a tecnologia apoia seus estudantes para a redação do Enem

A nota da redação do Enem é  um fator decisivo na hora dos seus estudantes garantirem uma vaga nas principais universidades. Por isso, para garantir um melhor posicionamento da sua escola no ranking do exame é importante entender como aumentar o desempenho dos estudantes na execução da prova. 
Independentemente de serem públicas e privadas, para seus  alunos  conquistarem uma vaga nas principais instituições do País, o Enem ainda  é o principal caminho. 
Assim, descobrir maneiras de motivá-los e informações importantes para ajudá-los a desenvolverem melhores textos é uma das maneiras de aumentar os indicativos educacionais, comprovar a eficácia da sua gestão escolar e colocar a sua instituição de ensino em outro patamar no cenário nacional. 

Boa notícia: compilamos dados incríveis sobre as redações do Enem em uma pesquisa inédita no país com o intuito de apoiar educadores e gestores educacionais.
Quer saber mais?

Baixe aqui gratuitamente.

Interessada(o)? Estamos apenas começando. Aqui neste post, vamos oferecer dicas e atividades exclusivas para preparar seus alunos para alcançar a nota 1000 na redação do Enem. 
No final, você saberá como a tecnologia pode ser um  fator potencializador no processo de ensino e aprendizagem e apoiar estudantes antes, durante e após o exame.  Fique conosco!  

Redação do Enem: tudo começa no letramento digital 

Antes de aprofundarmos sobre como a tecnologia apoia os estudantes da redação do Enem é importante entender sobre o letramento digital. 
Como trazido por especialistas como Paul Gilster e  Dawid Bawden, o conceito relaciona-se à capacidade de ler, escrever e compreender a leitura e a escrita que acontece no âmbito tecnológico ou das novas mídias.

Com o desenvolvimento e avanço da tecnologia, se faz necessário estarmos cada vez mais informados do papel ativo que os meios digitais ocupam no nosso dia a dia, isto é, precisamos ser letrados também no mundo digital. 
Desta forma, a única maneira de aumentar o desempenho da sua instituição em um mundo globalizado e interconectado é estimulando o letramento  na sua unidade de ensino.  
Depois, o próximo passo é encontrar uma tecnologia que supra às suas necessidades e que você possa chamar de aliada. 

Quer saber mais sobre letramento? Preparamos um material introdutório sobre Letramento, onde você pode conferir sobre essa competência que é tão fundamental em nosso momento histórico, que hoje está presente em políticas nacionais de direitos e aprendizagem, como a BNCC.

Como a tecnologia transforma a redação do Enem?

Agora que você já sabe sobre o letramento digital, você deve estar se perguntando:  “Como a tecnologia e o letramento podem apoiar as suas turmas no Enem?” 
A resposta é que, além da tecnologia, fazer parte da linguagem dos alunos atualmente, ela pode ser a ferramenta potencializadora do ensino – aprendizagem, auxiliando as turmas e empoderando educadores. 

 A tecnologia oferece recursos didáticos ágeis cujos principais benefícios são:

  • Engajamento dos alunos; 
  • Potencialização  da aprendizagem; 
  • Planejamento pedagógico eficaz; 
  • Estruturação de aulas ágeis e otimizadas; 
  • Informações precisas focando nas necessidades reais dos estudantes.

Deste modo, um dos benefícios da tecnologia pode ser exatamente trazer insights valiosos sobre quais os principais erros cometidos pelos seus alunos e oferecer a possibilidade de personalizar o ensino.
Abaixo, vamos mostrar dois exemplos extraídos da análise do desempenho dos estudantes do programa Letrus. 

Redação do Enem: insights extraídos da tecnologia 

  1. Palavras que os estudantes não sabem acentuar
    Conforme falamos anteriormente, fizemos uma análise inédita com mais de 240 mil redações que seguiram a mesma grade do Enem. Com isso, podemos visualizar quais foram as 10 palavras onde foram notados erros de acentuação.
  2. Palavras que causam confusão na hora de escrever
    As palavras “públicas”, “número” e “política” são os três vocábulos que mais geram confusão nos alunos no momento da escrita.
  3. Crase
    Cerca de 27% dos alunos não sabem usar a crase.  Imagina o que você pode fazer com essa informação em mãos? Um plano de ensino estruturado focado nas principais dificuldades dos seus alunos. 

Com o uso da tecnologia, como a plataforma da Letrus, você pode  identificar textos com esse desvio, distribuir entre os alunos e sem divulgar sua autoria.
Depois, separá-los em três grupos e pedir que selecionem qual é a  grafia incorreta. Esse é um exemplo de atividade para que eles possam discutir entre si considerando toda a frase! 
Com a pandemia e muitos questionamentos referente ao futuro da educação, muitos educadores puderam contar com o apoio da tecnologia e usá-la de forma assertiva para apoiar estudantes na redação do Enem. 

 

Conclusão

Existem questionamentos e incertezas referente ao futuro da educação, porém que a tecnologia pode apoiar educadores no  processo ensino aprendizagem e aumentar o potencial das suas turmas é comprovado cada dia que passa. 
Uma prova disso são os resultados da avaliação de impacto feita pelo J-PAL, laboratório de estudos da pobreza baseado no MIT, em parceria com a FGV, que analisou e comprovou os efeitos da aplicação do Programa Letrus no desenvolvimento da escrita de alunos de escolas públicas do Espírito Santo. 

Segue resumidamente alguns dos resultados do programa: 

  • Ampliar significativamente a prática de escrita nas escolas;
  • Diminuiu, de modo considerável, a carga operacional e ajudou os professores a individualizarem mais o ensino;
  • Foi capaz de engajar muito mais professores e alunos;
  • Possibilitou aos professores terem um papel mais humano, criativo e empático, impactando o nível de aprendizagem dos alunos.
Tags:
,